Plasma de Argônio

Tratamento de Reganho de Peso Pós Cirurgia Bariátrica

Trata-se de um tratamento ambulatorial realizado por endoscopia para aqueles pacientes que voltaram a ganhar peso após a realização de cirurgias bariátricas.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), estima-se que nos últimos dez anos cerca de 400 mil brasileiros se submeteram a cirurgia bariátrica para perda de peso. Contudo, mais de 15% desses pacientes voltaram a reganhar peso após algum tempo de operado. Uma das causas principais disso é a dilatação da anastomose gastro-intestinal feita na cirurgia.

A anastomose nada mais é do que a emenda cirúrgica feita entre o estômago reduzido e o intestino delgado. Com o tempo, a dilatação pode ocorrer permitindo a passagem fácil do alimento ingerido. Com o tratamento pelo plasma de argônio essa anastomose reduz seu diâmetro trazendo novamente saciedade ao paciente, o que o ajudará a continuar a perder peso.

Já usado em vários países com sucesso, no Brasil foi liberado pela ANVISA e tem sido uma grande alternativa para esses pacientes. Portanto, aqueles pacientes que não aproveitaram todo o auxilio promovido pela cirurgia, nos primeiros anos, para mudarem seu estilo de vida, encontram no PLASMA DE ARGÔNIO um novo apoio para remodelar sua anastomose e alcançar o objetivo de perda.

VANTAGENS

Bastante seguro, com baixíssimo índice de complicações graves

Tratamento ambulatorial: o paciente realiza o procedimento e recebe alta no mesmo dia e não há necessidade de centro cirúrgico.

Resultados satisfatórios (segundo os estudos clínicos) com poucas sessões

Tratamento pouco sintomático após a sessão de aplicação

Tratamento endoscópico, minimamente invasivo, sob sedação endoscópica, sem necessidade de anestesia geral.

Custo menor que os métodos disponíveis atualmente

Não há necessidade de afastamento do trabalho

DESVANTAGENS

Convênios não cobrem o procedimento

É necessário mais de uma sessão normalmente

Não há garantias de resultados e pode haver recidiva com o tempo.

Há efeitos colaterais raros como dor abdominal (menos de 5%)

INDICAÇÕES

Indicado apenas para pacientes operados por cirurgia bariátrica pela técnica do BYPASS gástrico (FOBI-Capella, Wittgrove, Higa)

Qualquer paciente operado pelas técnicas acima que iniciou reganho de peso após 1 a 2 anos de cirurgia

Qualquer paciente operado pelas técnicas acima que parou de perder peso após 1 a 2 anos de cirurgia

Reganho de 10% do peso ou mais do mínimo peso alcançado após a gastroplastia

CONTRAINDICAÇÕES

Não há contraindicações absolutas.

Não é indicado para pacientes com anastomose justa ou com diâmetro menor que 1 cm

Úlceras ativas na região da anastomose

Distúrbios graves de coagulação

COMO OCORRE AS SESSÕES DE PLASMA DE ARGÔNIO

Realizar uma consulta médica prévia para avaliação e enquadramento do paciente. Traga todos seus exames de endoscopia e laboratoriais recentes.

Se necessário será realizado uma nova endoscopia prévia à primeira sessão de APC (Aplicação de Plasma de Argônio)

É necessário jejum de pelo menos 8 horas prévias ao procedimento

O paciente receberá sedação venosa de endoscopia, portanto precisa ir acompanhado com adulto maior de 18 anos e não pode dirigir no dia

A sessão realizará fulguração (queimadura térmica e iônica) da anastomose, portanto pode haver dor leve a moderada após o procedimento.

Serão necessárias 2 a 3 sessões de APC para efeitos satisfatórios com intervalo de 4 a 8 semanas entre elas (depende da resposta de cada organismo, mas já efeitos na primeira sessão).

Após 1 hora da aplicação o paciente recebe alta.

O procedimento dura 15 minutos

Deve ser feito controle endoscópico semestralmente após o término do tratamento

RESULTADOS

Não há garantias de resultados como qualquer tratamento médico, mas…

Normalmente 20% do peso inicial (do inicio do tratamento com APC)

Perda de até 50 a 70% do excesso de peso atual

Os resultados serão tão mais permanentes e eficazes se o paciente se enquadrar num programa multidisciplinar de tratamento com nutricionista, psicólogo e/ou psiquiatra, atividades físicas observadas, reeducação alimentar e mudança do estilo de vida. Isso é o que garante o paciente manter sua perda.

SEGURANÇA

Apesar de baixo risco, sugerimos sempre realizar em ambiente hospitalar

Todos os pacientes devem ser submetidos à uma dieta progressiva liquido-cremoso-pastoso-sólido após o procedimento. A progressão deve respeitar também a quantidade do que pode ser ingerido. Isso evita vômitos precoces, traumas sobre a região em que foi aplicado o plasma de argônio, evitando úlceras, hemorragias, perfurações, dores.

Existe baixo risco de a aplicação causar uma cicatrização muito intensa e provocar um estreitamento (estenose) da anastomose acima do esperado. Se isto ocorrer, será necessário nova abordagem com dilatação da anastomose por endoscopia.

EFEITOS COLATERAIS: o efeito colateral mais comum, especialmente após a primeira sessão, é DOR. É uma sensação semelhante a gastrite. O sintoma permance por 2 a 3 dias e é mais intenso nas primeiras horas após o procedimento. Normalmente esse sintoma é facilmente coibido com medicamentos adequados.

O paciente está liberado para suas atividades habituais no dia seguinte e para atividades físicas 3 dias depois do procedimento.

Comprimidos poli-vitamínicos devem ser ingeridos triturados.

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

1. Quanto tempo após cirurgia bariátrica já posso fazer o procedimento de aplicação do plasma de argônio?

Indica-se o argônio endoscópico por reganho de 10% do peso mínimo alcancado pela cirurgia de bypass gástrico. Outra indicação é para pacientes com perda insuficiente de peso após a gastroplastia. Geralmente, indica-se após 24 meses da cirurgia bariátrica.

2. Tenho que fazer todo ano?

Normalmente não. Após finalizar as sessões, sugerimos controle em 6 meses com nova endoscopia para reavaliação. Uma nova sessão só será necessária se houver nova dilatação da anastomose.

3. Quanto quilos vou perder nas sessões de argônio?

Imprevisível e muito variável. O objetivo é uma nova perda de peso. Observamos perdas de mais de 70% do peso que foi readquirido. Mas isso é apenas uma média e nunca uma regra.

4. Quantos quilos precisa engordar para que o argônio seja indicado?

Indicamos para reganho de 10% ou mais acima do peso mínimo alcançado após a gastroplastia.

5. A anastomose do meu estômago com o intestine pode fechar muito ou ficar muito apertada?

Sim. Considerada uma complicação do método, cerca de 5% dos pacientes que realizam o método desenvolvem uma cicatrização muito intensa e tem um estreitamento maior (estenose). Neste caso, pode ser preciso dilatar a anastomose.

6. Tomo vitaminas (em comprimido) e posso continuar tomando nos dias após o procedimento, onde fui orientado a fazer dieta líquida?

Sim. Mas devem ser trituradas na fase liquida.

7. O que pode acontecer comigo se eu não fizer a dieta conforme orientada depois do procedimento de argônio ?

Pode ter sangramento, dor ou entalar.

8. Como é o processo de emagrecimento com o argônio?

As sessões que mais perdem peso são a segunda e a terceira devido ao maior estreitamento (estenose) da saída (anastomose) do estomago.

9. Sou de outra cidade onde faço argônio, há necessidade de pernoitar na cidade que fiz o argônio? Posso dirigir?

Podem retornar para casa, mas com um acompanhante para dirigir e auxiliar o paciente. Não precisa dormir na cidade do procedimento.

10. Com quanto tempo depois da cirurgia bariátrica se estabiliza a perda de peso ?

Em média com 18 meses.

11. Até quando ocorre perda de peso após a realizaçao do procedimento de argônio? – OU – A pessoa só perde peso no intervalo das sessões e enquanto durar a cicatrização?

Perde peso durante as sessões e mantém o peso enquanto a anastomose permanecer reduzida. Um controle em 6 meses ajuda a verificar isso e ver necessidade de complementação e outras sessões.

12. O plasma de argônio é indicado apenas em pacientes operados pela técnica do bypass gástrico. Quem fez sleeve gástrico ou duodeno-switch pode também optar por essa técnica?

Não pode. Só para pacientes submetidos a bypass. Nas demais, não temos anastomose entre o estômago e intestino. No Sleeve o único orgão operado é o estômago e no Duodenal Switch a anastomose é duodeno-jejunal, não gastro-jejunal, portanto proibitivo.

13. Quem tem o anel na cirurgia de Bypass pode realizer argônio ?

Nenhuma restrição há para quem realizou bypass com anel de contenção. Haverá restrição se o anel for tão justo que não permita o aparelho de endoscopia transpor, ou estiver migrado para dentro do estômago. Do contrário não há problemas.

14. O reganho de peso é uma regra para todos os pacientes submetidos a bypass ?

O reganho de peso ocorre em mais de 15 % dos pacientes que realizaram a gastroplastia. Alguns estudos mostram reganho em mais de 40 % dos pacientes. Na imensa maioria destes pacientes isso ocorre pela dilatação da anastomose. Caso a anastomose apresente mais de 20 mm de diâmetro, o argônio está indicado.

15. Fiz a primeira sessão de argônio e não emagreci nada. Isso é normal? Não vou emagrecer?

O argônio estreitará a anastomose e isso ocorrerá aos poucos. É perfeitamente normal não sentir muita diferença após a primeira sessão. A segunda e terceira sessão mais eficazes.

16. Quantos quilos se perde com o tratamento do argônio?

Depende de cada paciente. Na maioria das vezes mais de 70 % do peso readquirido.

17. Somente os operados no método de Capella (Bypass) que voltam a engordar?

Qualquer técnica pode readquirir peso, depende muito da disciplina alimentar do paciente e da atividade física. Mas somente na técnica Capella (Bypass gastrico) que se pode utilizer o argônio.

18. Meu médico disse que quem faz Capella (Bypass) nunca mais poderá ficar obeso novamente. Mito ou verdade?

Até 40% podem reganhar parcialmente o peso.

19. Fiz a mesma cirurgia que uma pessoa conhecida minha e estou perdendo mais lento ou menos que ela. O que há de errado ?

Isso depende de vários fatores: do peso inicial da pessoa conhecida, do seu comportamento dietético após a cirurgia, se há a syndrome de Dumping na sua cirurgia, se você ingere come alimentos liquidos hipercalóricos, se há a prática de atividade física, se houve correção dos distúrbios compulsivos alimentares, etc.

20. O que é platô na cirurgia bariátrica e quando ele acontece?

O platô seria uma estabilização do peso por um determinado período. É diferente de estabilização do peso que ocorre após 18 meses da cirurgia.

21. Queria saber se esse método é apenas para quem já voltou a engordar ?

Se a perda for menor que 35% do peso corporal inicial, pode-se fazer argônio. Caso o paciente na tenha reganhado peso, mas apresente dilatação de anastomose, o argônio também pode ser considerado.

22. Porque não pode ser realizado procedimento de balão em pacientes com reganho de peso pós cirurgia?

Nenhum estômago operado previamente, gastroplastia redutora ou outra, não pode ser colocado o balão. Zonas de sutura cirúrgica são potenciais locais para rompimento do estômago pelo balão.

 

Log in